Home / Geral / Barravelhense, Adriano Fagundes, conclui doutorado em Educação Científica e Tecnológica em Portugal
Slider

Barravelhense, Adriano Fagundes, conclui doutorado em Educação Científica e Tecnológica em Portugal




12.10 – Pouca gente sabe, mas um neto do saudoso ex-vice-prefeito Artur Fagundes se destaca na Europa, onde atua na pesquisa acadêmica e exerce seu doutorado. Adriano Fagundes, de Itajuba, ex-professor da Escola de Educação Básica Conselheiro Astrogildo Odon Aguiar por duas oportunidades, concluiu os estudos em “Educação Científica e Tecnológica”, programa de pós-graduação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) que desenvolve ensino e pesquisa sobre a relação entre educação e ciência.

O trabalho do barra-velhense, filho do ex-vereador e ex-presidente da Câmara, Cezar Fagundes (PDT), e sua esposa Silvana, está mais ligado ao ensino da Física, sua área de atuação. O jovem doutor foi criado em Itajuba, é exemplo de que a busca pelo conhecimento não só abre portas locais, mas também, do mundo. Ele já passou por um estágio no Timor Leste, e atualmente atua num centro de estudos em Portugal, onde mora com a esposa, que é portuguesa.

Voltado para a formação acadêmica de professores de Ciências (Física, Química e Biologia), e de Matemática, o doutorado de Adriano possibilitou pesquisas para melhor compreensão do processo de ensino-aprendizagem. “Como sou licenciado em Física, me especializei no ensino desse campo. A minha pesquisa no doutorado consistiu numa investigação do uso de recursos visuais para o ensino de fenômenos astronômicos básicos, tais como as fases da lua, as estações do ano, entre outros”, detalha Fagundes.

“Nosso objetivo é aprimorar os materiais didáticos elaborados para auxiliar os alunos na visualização desses fenômenos”. Adriano destaca que essa área de pesquisa foi despertada em Barra Velha após sua primeira experiência como docente no Astrogildo, onde lecionou dois períodos. “Sempre tive interesse pela pesquisa em Física, mas após pequeno período em sala, percebi que havia questões que poderiam ser melhor compreendidas”.

Adriano percorreu caminhos tanto na Educação pública como privada. Ele completou o primeiro ano do ensino médio na Escola de Educação Básica David Pedro Espíndola, no São Cristóvão, e em seguida concluiu o ensino médio em Itajaí. Sua experiência de trabalho na Astrogildo Odon Aguiar foi pequena, mas segundo ele, gratificante. “Pude trabalhar com excelentes e experientes professores, que juntamente com os alunos me ensinaram bastante”. Ele inclusive relaciona o apoio da professora Silvana Brugnago, então diretora da unidade.

Depois dos estudos em Barra Velha e Itajaí, ele iniciou a licenciatura em Física na UDESC, em Joinville, e concluiu o curso na UFSC, em Florianópolis. Em seguida, cursou o mestrado e o doutorado na UFSC. Esses períodos de estudo e pesquisa foram bancados com bolsas de pesquisa financiadas pela Capes. O gosto pelo conhecimento vem de família – Adriano é também sobrinho de Cacá Fagundes, principal historiador de Barra Velha.

Em 2014, Adriano alçou voos maiores. Integrou programa de capacitação de professores em Timor-Leste, com o objetivo de contribuir para a formação de professores timorenses em e de língua portuguesa. “Timor-Leste foi colonizado pelos portugueses e a nossa língua é uma das oficiais do país. Os timorenses vivenciaram um passado recente bastante conflituoso e conseguiram restaurar a sua independência apenas em 2002”, lembra Adriano. Devido ao histórico recente, o país busca ainda estruturar o seu sistema educacional e um dos desafios iniciais é a formação dos seus professores.

A ida para Timor foi uma oportunidade para a realização de um estágio docência em contexto sociocultural bastante diferente do brasileiro. Fagundes atuou nos cursos de formação inicial de professores da Universidade Nacional Timor Lorasa’e e ao mesmo tempo aprendeu um pouco sobre como ensinar a Física num contexto bastante diferente do vivido no Brasil.

Atualmente, Adriano atua num centro de estudos em Portugal. “Não é uma escola, mas um espaço onde os alunos reforçam os estudos escolares. Nesse ambiente tenho bastante contato com o currículo escolar português, e esse é mais um espaço/tempo de contato com outras realidades e novas aprendizagens”.

Aos estudantes de Barra Velha, o jovem doutor deixa uma mensagem de estímulo. “Não hesitem, há muitas oportunidades boas na academia. Todo começo ou recomeço pode ser difícil, mas sempre encontramos um caminho promissor quando optamos por estudar”. No Brasil, Adriano também pontua que há excelentes universidades públicas e privadas.

“Os estudantes de Barra Velha que buscam cursar uma faculdade (presencial), deparam-se com uma dificuldade acrescida, pois precisam morar em outras cidades ou fazer o deslocamento diário para Itajaí, Joinville, Florianópolis, etc. Todo esse esforço vale a pena quando estamos decididos a seguir uma determinada profissão que nos exige a formação superior”, finaliza.

Texto: Juvan de Souza Neto

Receba notícias direto no seu celular!
Participe do grupo "Noticias Região do Carneiro News"

Sobre Vilmar Carneiro

Vilmar Carneiro
Formado em Jornalismo pela Univali - Universidade do Vale de Itajaí. Passagens profissionais por: Rede de Comunicação Eldorado (RCE/TV- Itajaí), Jornal de Santa Catarina (Agencia RBS/Notícias), Jornal A Notícia, Diário do Litoral (Diarinho) e diretor de jornalismo da extinta Rádio Aquarela FM.

Confira também

Penha: Obras de extensão de rede beneficiam moradores no bairro Nossa de Fátima

02.08 – Para reforçar o abastecimento e assegurar um sistema mais moderno e eficiente, a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *