Home / Notícia / Baleias-jubarte encontradas mortas nas praias de Barra Velha e Navegantes tinham marcas de interação com redes de pesca
Slider
Só este ano cerca de 150 jubartes morreram na costa brasileira - Foto/PMP-BS

Baleias-jubarte encontradas mortas nas praias de Barra Velha e Navegantes tinham marcas de interação com redes de pesca




02.09 – Equipes técnicas da Univali/Unidade Penha, do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos coletaram de dados biométricos e a análisaram as vísceras das duas baleias-jubarte, encontradas mortas nesta semana, nas praias de Barra Velha e Navegantes.

Navegantes

Ontem, técnicos da Univali fizeram o exame de necropsia da baleia-jubarte encalhada morta na Praia do Gravatá, em Navegantes. O animal era uma fêmea, juvenil, com 7,90 metros de comprimento total. A causa de morte não foi confirmada devido ao estágio avançado de decomposição.

O animal encalhou já sem vida no fim de tarde de terça-feira. A equipe fez a coleta de dados biométricos e a análise das vísceras.

Apesar processo natural de destruição de células e tecidos após a morte, foi possível registrar informações importantes sobre a condição de saúde da baleia. De acordo com a médica veterinária Tiffany Emmerich foi encontrado uma grande quantidade de parasitas na cavidade toráxica.

Na avaliação do estômago e dos intestinos foi possível notar a falta de conteúdo alimentar. Jubartes se alimentam nos mares mais gelados ao sul do continente. Faz parte do comportamento da espécie a restrição à alimentação durante o período migratório, quando se deslocam para a reprodução em praias brasileiras.

Marcas lineares e profundas foram registradas nas duas nadadeiras peitorais. Segundo Tiffany, as marcas eram compatíveis com interação em redes de pesca. Havia, ainda, a presença de “piolhos” de baleia, pequenos crustáceos que se alimentam da pele das baleias.

Barra Velha

O segundo de baleia-jubarte aconteceu ontem em Barra Velha. Devido ao estágio avançado de decomposição, a baleia não passou pelo exame de necropsia.

A jubarte era uma fêmea, juvenil, com comprimento total de 8,10 metros e peso estimado em 7,8 toneladas. O animal encalhou sem vida no dia anterior, ao fim de tarde.

Nas avaliações externas foram observadas marcas lineares, sendo algumas profundas, compatíveis com interação em rede de pesca, principalmente na região do pedúnculo caudal (estrutura muscular entre as nadadeiras dorsal e caudal).

Havia, ainda, uma fratura de vértebras na região do cóccix. Lesões como esta, quando associadas à marca compatível com interação em redes pesqueiras, podem ser causadas a partir da fricção do cabo no corpo do animal. São suspeitas não confirmadas devido ao processo de autólise do organismo.

Pequenos crustáceos chamados de ciamídeos, popularmente conhecidos por “piolhos de baleia”, foram encontrados em grande quantidade ao longo do corpo do animal.

150 jubartes mortas em 2021

Mais de 150 baleias-jubarte encalharam sem vida em praias brasileiras só neste ano, segundo dados do médico veterinário Milton Marcondes, diretor de pesquisa do Instituto Baleia Jubarte.

Destas, somente um indivíduo era filhote e três adultos; os demais eram juvenis. Duas baleias registradas encalharam ainda com vida, mas morreram na sequência.

As praias catarinenses lideram a lista de distribuição de encalhes, com 33,8% das ocorrências, seguido por São Paulo (27,3%), Rio de Janeiro e Espírito Santo (10,4% cada). O Estado da Bahia, antes líder nas ocorrências de encalhes, corresponde à 5,2% das ocorrências computadas até 31 de agosto.

Ao avistar aves, tartarugas ou mamíferos marinhos encalhados nas praias acione as equipes do PMP-BS pelo telefone 0800 643 3341. A ligação é gratuita e funciona diariamente das 8h30 às 17h3o. O contato vale para animais vivos e mortos na faixa de areia.

 

Receba notícias direto no seu celular!
Participe do grupo "Noticias Região do Carneiro News"

Sobre Vilmar Carneiro

Vilmar Carneiro
Formado em Jornalismo pela Univali - Universidade do Vale de Itajaí. Passagens profissionais por: Rede de Comunicação Eldorado (RCE/TV- Itajaí), Jornal de Santa Catarina (Agencia RBS/Notícias), Jornal A Notícia, Diário do Litoral (Diarinho) e diretor de jornalismo da extinta Rádio Aquarela FM.

Confira também

Atropelamento fatal: Carro bate em ponto de ônibus, mata um homem e fere gravemente outras duas pessoas, na praia de Armação, em Penha

28.11 – Um acidente por volta das 19h30 de ontem, na Avenida Antônio Joaquim Tavares, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *