Home / Economia / Fragata Tamandaré – Novos navios de guerra brasileiros são qualificados e já podem ser construídos em Itajaí
Slider
Ao todo, serão quatro fragatas Classe Tamandaré construídas em Itajaí – Foto/Ilustrativa

Fragata Tamandaré – Novos navios de guerra brasileiros são qualificados e já podem ser construídos em Itajaí




21.06 – Uma seção das praças de máquinas da futura Fragata Classe Tamandaré foi apresentada e qualificada nesta terça-feira (21) no Estaleiro Brasil Sul, em Itajaí. A qualificação aconteceu em um evento que contou com a presença de representantes da Marinha do Brasil e do consórcio Águas Azuis, que vai executar o projeto desta e de mais três navios de guerra.

O modelo qualificado nesta terça é um “mock-up” e reproduz, em dimensões reais, parte da estrutura do navio. Ela foi verificada pela Sociedade Classificadora e pelas normas e requisitos contratuais. Agora, as embarcações já podem começar a ser construídas.

Ao todo, serão quatro fragatas Classe Tamandaré construídas em Itajaí, um projeto conduzido desde 2017, gerenciado pela Emgepron (Empresa Gerencial de Projetos Navais). O contrato prevê um investimento de R$ 10 bilhões. Além disso, deve gerar mais de 2 mil empregos diretos e 6 mil indiretos. A primeira fragata deve começar a ser fabricada ainda este ano e tem previsão para entrega em setembro de 2023.

Para o Almirante de Esquadra Almir Garnier Santos, Comandante da Marinha, essa construção é mais complexa e desafiadora e exige mão-de-obra qualificada e tecnologia para garantir que os navios de guerra estejam nos parâmetros contratuais.

As fragatas

As fragatas contam com características tais como deslocamento de 3,3 mil toneladas, 107 metros de comprimento e largura máxima de 16 metros, autonomia de 9,2 mil km à velocidade de cruzeiro, velocidade máxima de 25,5 nós (47,2 km/h). As embarcações ainda podem levar uma tripulação total de cerca de 130 militares.

O Programa Fragatas Classe Tamandaré prevê a transferência de tecnologia e a capacitação de empresas e da Marinha do Brasil. Essa tecnologia é dominada por poucos países e cuja incorporação ao espectro tecnológico nacional representa um passo, não só na garantia de independência na manutenção adaptativa e evolutiva dos atuais e futuros meios navais, mas também importantes reflexos duais em aplicações na indústria nacional.

Fonte: ND+

Receba notícias direto no seu celular!
Participe do grupo "Noticias Região do Carneiro News"



Participe do grupo "Noticias Região do Carneiro News" no Telegram!

Sobre Vilmar Carneiro

Vilmar Carneiro
Formado em Jornalismo pela Univali - Universidade do Vale de Itajaí. Passagens profissionais por: Rede de Comunicação Eldorado (RCE/TV- Itajaí), Jornal de Santa Catarina (Agencia RBS/Notícias), Jornal A Notícia, Diário do Litoral (Diarinho) e diretor de jornalismo da extinta Rádio Aquarela FM.

Confira também

Dá uma olhada – Trabalhadores podem ter até R$ 3.000 esquecidos do PIS/Pasep

30.06 – Atualmente, quase 320 mil cidadãos ainda não sacaram o abono PIS/Pasep, ano-base 2019, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *