Home / Geral / Agora pode: Justiça libera a pesca de arrasto na costa gaúcha
Slider

Agora pode: Justiça libera a pesca de arrasto na costa gaúcha




16.12 – O Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu uma liminar para suspender a lei estadual do Rio Grande do Sul que proibia a pesca de arrasto até 12 milhas de distância da costa gaúcha.

A proibição de pescar na área que é frequentada por embarcações catarinenses, inclusive de Penha, estava afetamento seramente os pescadores do município, já que o principal alvo dos barcos de arrasto na costa do RS são o camarão-vermelho e o camarão-ferrinho, que chegam a movimentar R$ 350 milhões por safra.

Vale lembrar, que Penha foi o único município catarinense a entrar na justiça, através da Prefeitura, em conjunto com as entidades representantes dos pescadores e da indústria pesqueira, além de deputados e senadores que abraçaram essa luta.

“Fomos diversas vezes ao Estado do Rio Grande do Sul dialogar com os deputados daquele Estado, buscando a revogação da lei; disponibilizamos ônibus e levamos à Brasília dezenas de pescadores para sensibilizar as autoridades federais, e participamos de encontros com o Secretário Nacional da Pesca, Jorge Seif Júnior, e até mesmo o Presidente da Frente Parlamentar da Pesca na Câmara Federal, Deputado Luiz Fushimori”, lembra o prefeito de Penha, Aquiles da Costa, que comemorou a decisão.

Briga Judicial

Em dezembro, o ministro Celso de Mello havia negado a cautelar. Os autores recorreram, e desta vez o ministro Kássio Nunes Marques concedeu o pedido. A decisão libera a pesca na costa gaúcha para os barcos catarinenses, mas o caso seguirá em análise no STF até o julgamento do mérito, que não tem data para ocorrer.

Na avaliação do ministro, a responsabilidade dos estados está limitada a águas continentais como rios, lagoas e açudes. O Rio Grande do Sul não poderia, portanto, legislar sobre águas que são de responsabilidade da União – mesmo que as regras gaúchas fossem mais restritivas que a legislação federal. “No caso concreto, há característica relevante que o distingue daquela situação. Aqui, tratamos de conferir constitucionalidade à lei estadual que tratou de limite de mar territorial (…) A fortalecer tal lógica de raciocínio, a execução da política pública da pesca compete à União”, analisou.

Outro fator que pesou na decisão diz respeito ao prejuízo que a lei gaúcha trouxe a Santa Catarina. Esse fator foi trazido à ação pela Defensoria Pública da União e pelo Município de Penha, que integraram a causa como amicus curiae. “A lei estadual do Rio Grande do Sul acabou por gerar impactos em outro Estado da Federação, a extrapolar seus limites territoriais de competência legislativa”, considerou o ministro.

Fonte: PMP

Por: Vilmar Carneiro

Receba notícias direto no seu celular!
Participe do grupo "Noticias Região do Carneiro News"



Participe do grupo "Noticias Região do Carneiro News" no Telegram!

Sobre Vilmar Carneiro

Vilmar Carneiro
Formado em Jornalismo pela Univali - Universidade do Vale de Itajaí. Passagens profissionais por: Rede de Comunicação Eldorado (RCE/TV- Itajaí), Jornal de Santa Catarina (Agencia RBS/Notícias), Jornal A Notícia, Diário do Litoral (Diarinho) e diretor de jornalismo da extinta Rádio Aquarela FM.

Confira também

Ciclone Extratropical – Ventos de até 132 km/h deixam rastro de destruição na região

11.08 – Os fortes ventos que atingiram a região na quarta-feira chegaram ao pico de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *